Blacksilver (parte 3)

As coisas nem sempre saí­am como o planejado. Quem poderia adivinhar que um grupo de aventureiros humanos poderia ter ouvido falar daquela remota tumba e se antecipado í  incursão dos futuros heróis élficos? Prever o futuro nunca foi uma arte exata, Blacksilver sempre lembrava seu mestre. O súbito contratempo não teria causado problemas caso a ganância dos violadores de tumba fosse um pouco menor que o valor que davam í s vidas. Afinal de contas apenas as mãos de um paladino de Corellon poderia abrir o selo que guardava a relí­quia sagrada, e nenhum da raça bela integrava o bando de larápios que sabe-se lá como sobreviveu ao difí­cil caminho entre as montanhas. Continuar lendo Blacksilver (parte 3)

Blacksilver (parte 2)

Corria sorrindo por entre as árvores de Arvandor sem perturbar sequer uma das pequenas fuinhas que procuravam na relva por sementes das imponentes árvores que ali existiam desde o princí­pio dos tempos. A noite estava agradável, como sempre nos domí­nios da Corte dos Seldarine, e os grandes vaga-lumes formavam fantásticas constelações eternamente em movimento sob as altas copas de folhas dos mais diferentes tons de verde. Continuar lendo Blacksilver (parte 2)

Blacksilver (parte 1)

Muito ainda faltava para sua expiação. Ainda sentia na pele a dor de ter seus poderes arrancados enquanto cortava as barreiras entre Arvandor e Faerûn. Porém não se arrependia da escolha tomada há alguns meses – que antes teriam passado em um piscar de olhos – que se arrastaram por uma eternidade. Aceitou a decisão de Corellon com o semblante impassível, o queixo erguido e decidido a suportar todas as provações a ele impostas. Continuar lendo Blacksilver (parte 1)