O druida sai da roça

Como todo Night Elf, comecei em Teldrassil, e fiquei naquela ilha por mais ní­veis do que gostaria.

No começo tinha medo de sair de Shadowglen, e quando finalmente criei coragem para partir para Dolanaar (o que fiz com o maior cuidado possí­vel) fiquei babando com os Ancient Protectors por um bom tempo.

Entrei em meu primeiro dungeon, Ban’Ethel Hollow (veja bem, pra um personagem de ní­vel 9 qualquer coisa embaixo da terra cheia de criaturas a cada curva é um dungeon), junto com um outro companheiro druida, que apesar de estar apenas no ní­vel 7 partia pra cima dos monstros com abandono, alheio a meus gritos de “cuidado, vamos com calma”, e respontia apenas “heal me!”. Depois de morrer pela primeira vez, cercado pelas várias criaturas que ele chamou ao mesmo tempo pulando que nem um idiota para a sala de baixo, voltei até o meu corpo e me teleportei de volta pra taverna xingando baixinho. Minha experiência seguinte no mesmo dungeon foi beeeem mais agradável, acompanhado de um druid de ní­vel 13 e uma priest do meu ní­vel, foi como passear no parque.

Moonglade me esperava no caminho da forma de urso, e uma outra druida de ní­vel 19 foi vital para que eu derrotasse o Moonkin que encerrava a quest. Andar de hippogryfo pela primeira vez foi um barato! A partir daí­ parti para Alberdine, em Darkshore, que se tornou minha nova casa. Lugarzinho inóspito, feio, cinza, cheio de ursos, nightsabers e uns avestruzes temperamentais, mas ótimos para se arrancar o couro e fazer badulaques pra vender na feira hippie.

Para a busca da magia de curar veneno, contei com a ajuda do mago Gereth, que me acompanhou em uma caverna cheia de homens-lagarto só pra descobrirmos mais tarde que eu só precisava encher um vidrinho com a água da cachoeira na porta. Mas deu um xpzinho e uns í­tens legais pra vender.

Cheio de coragem, pensei comigo mesmo, “porque não conhecer o continente de lá?”. Peguei o barco até Menethil Harbour, mas, após driblar crocodilos nas Wetlands e ter os calcanhares mordiscados, tive que me teleportar com o rabo entre as pernas para Moonglade após dar de cara com um cara verde com o dobro do meu ní­vel tomando conta de uma das passagens de Dun Algaz.

Como a busca pela forma aquática pedia que eu desse um pulinho em Westfall, lá veio novamente Gereth para o resgate, e andamos juntos as léguas e léguas que separam Menethil Harbour de Ironforge, parando para conversar com os mestres de griffons no caminho. Depois de andar de tram e me sentir em um filme de Indiana Jones, cheguei em Stormwind e percebi que Darnassus, apesar de bonitinha, é uma roça mesmo.

No momento enfrento o dilema de como mergulhar até o fundo do oceano driblando enormes tubarões para recuperar metade de um medalhão. Poções que permitam respirar debaixo d’água seriam aceitas de bom grado, ou até mesmo uma ajudinha de alguém que consiga fazer essa magia e queira ficar na vigíia dos tubarões. Alguém se habilita?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *