Adventure Keep

Criar uma boa aventura não é difí­cil. Com um pouco de imaginação e inventividade todos somos capazes de dispor alguns monstros, tesouros e armadilhas ao longo de um mapa e apresentar bons desafios para nossos jogadores. Porém, mesmo uma simples aventura requer um mí­nimo de tempo para ser desenvolvida, um tempo que algumas vezes não podemos dispor. É para essas pessoas que a Alderac Entertainment Group desenvolveu a série Adventure Keep. Por menos de três dólares os mestres conseguem uma pequena aventura que pode divertir todo um grupo de jogadores por uma tarde inteira. Uma aventura mais barata que a pizza e os refrigerantes juntos.

A apresentação é bem simples e prática, 16 páginas em preto e branco e uma capa colorida em cartolina mais grossa num formato agradável de se segurar. São aventuras prontas para se encaixar em qualquer campanha de fantasia medieval já existente que use as regras do sistema D20, e cada um dos pequenos livros oferece sempre uma nova criatura para perturbar os personagens dos jogadores e um item mágico diferente para recompensá-los no final da jornada.

Há opções para todos os gostos e ní­veis. O Grimório colocou as mãos nos oito primeiros volumes da série, que já possui quase 30 livros, e ficou bastante impressionado com o que encontrou. Apesar de nenhuma delas ser indicada para grupos de primeiro ní­vel, seguem uma escalada de dificuldade que pode levar um grupo de 4 personagens até o oitavo ní­vel. Com um pouco de criatividade é possí­vel até transformá-las em uma pequena campanha para aventureiros clássicos, daqueles que penetram em masmorras pela emoção do desafio e derrotam os vilões apenas por ser o mais certo a fazer.

Em “The Crypt of St. Bethesta”, o grupo de heróis é acusado de um crime hediondo, e precisa seguir as pistas do verdadeiro autor das atrocidades para limpar seu nome. Um gancho para a próxima aventura, “Jerimond’s Orb”, é facilmente criado, já que uma terrí­vel besta os ataca sem aviso e põe os eventos da trama em movimento. No final, manter a recompensa pode não ser a melhor coisa a se fazer, levantando algumas questões morais e éticas nem sempre abordadas nessa linha dos roleplaying games.

Já com uma certa fama conquistada após as empreitadas anteriores, em “Tomb of the Overseers” o bravo grupo de aventureiros se torna a melhor opção para penetrar na tumba de um antigo herói e chamá-lo novamente í  vida para derrotar o mal causado por um terrí­vel feiticeiro. O problema é que o mesmo feiticeiro dessecrou a tumba de Lord Eriador, e muitos obstáculos são encontrados antes que o objetivo final possa ser alcançado.

Com tantos atos de bondade em seu currí­culo, o apelo da pequena vila de Glenn Hollow para investigar os ataques de sinistras criaturas vestidas em roupas negras que seqüestram seus habitantes e incendeiam casas, aparentemente enviados pelo lendário Barrow King. O item mágico empunhado pelo vilão final de “Against the Barrow King” é original e encaixa bem no clima sombrio da aventura. Não é sempre que se encontra um machado de ônix que sangra e fede a carniça afinal de contas.

Em “Castle Zadrian” o tempo e o espaço são torcidos e esticados para todos os lados, e a maldade não é o pior inimigo dos aventureiros. Com armadilhas traiçoeiras e a ameaça dos estranhos espí­ritos do caos, a pequena casa do velho alquimista é muito maior do que parece ao olhar casual dos moradores da cidade. Na aventura “Out of Body, Out of Mind”, o mapa da incrí­vel fortaleza suspensa sobre a cratera de um vulcão é muito bem construí­do, e não dá para deixar de lembrar do memorável episódio de Caverna do Dragão onde a trupe de garotos penetra em uma prisão bem semelhante í  que os jogadores irão encontrar.

Como o mal nunca descansa, a interrupção no envio de alimentos da cidade de Darbin ameaça a vida de todos os habitantes das regiões vizinhas. Cabe aos heróis descobrir o que aterroriza a cidade na aventura “Kurishan’s Garden”. Monstros planta em abundância, inclusive uma nova criatura com a capacidade de dominar a mente de seres vivos. Finalmente, em “Sundered Faith”, os heróis precisam descer aos esgotos de uma grande cidade para descobrir o que está atacando os trabalhadores que consertavam os túneis após um grande terremoto. Na verdade o abalo abriu uma passagem para um até então esquecido templo de um Deus maligno, protetor dos mortos-vivos, recheado de zumbis e dragões esqueletais para enfrentar os personagens.

A série Adventure Keep oferece ótimo material por um preço bastante em conta. Alguns de seus tí­tulos já podem ser encontrados em algumas lojas brasileiras, e o próprio serviço de vendas pela internet da empresa que as produz é bastante eficiente. Vale a pena conferir estes e outros produtos da Alderac, como os recém lançados Dungeons, sobre as masmorras que tanto gostamos, e Evil, sobre o lado negro de todas as aventuras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *