The Sword of Shibito volume 1

Enquanto filmes baseados em contos de horror de Koji Suzuki seja o que os americanos mais reconheçam como horro japones, os verdadeiros fãs do gênero não se esquecem da contribuição do novelista e roteirista Hideyuki Kikuchi. Mais conhecido pela sua série de horro fantástico Vampire Hunter D, que se desdobrou em anime e manga, Kikuchi reaparece na CPM Manga com The Sword of Shibito volume 1, uma colaboração com o artista Missile Kakurai.

The Sword of ShibitoA ambientação é o Japão antigo, em meio a uma terrí­vel e sangrenta guerra que deixa o povo aterrorizado nas terras entre as cidades e velhos campos de batalha. Atravessando uma dessas regiões estão três viajantes: um renomado ator , um farmaceutico e um yojimbo contratado para lhes proteger. Na abertura da história, estes três estranhos companheiros estão viajando através dos Campos de Adachi, um lugar coberto com os ossos de guerreiros mortos onde, dizem as lendas, um demônio dorme.

Logo de cara você percebe que está em um manga de Hideyuki Kikuchi. O ar é carregado com horror e morte, um lugar por onde estas três pessoas não deveriam estra vagando, mesmo que uma delas seja um yojimbo. Kikuchi toma seu tempo para construir o palco de sua história, colocar seus personagens para falar sobre a guerra, o perigo de viajar por aquele lugar e o demônio que supostamente a assombra. Isso é tudo trazido í  vida por Missile Kakurai, que faz a arte da história.

The Sword of ShibitoUma vez que o palco está pronto, Kikuchi insere uma estranha variedade de personagens, o tipo pelo qual ele é conhecido por seus fãs. Estes são indiví­duos perigosos e mortais, dotados de habilidades além das de meros mortais. Primeiro conhecemos o fabricante de bonecas chamado Ranken, um manhoso e maquiavélico personagem que antagoniza com os três viajantes. Ele é mandado embora, ou simplesmente fica entediado, e é substituido por uma bela mulher em longas vestes que é muito mais do que meramente inconveniente. Ela dacapita o yojimbo e fatia o ator, deixando apenas o farmaceutico vivo. Ele é levado por esta misteriosa e silenciosa mulher para um velho castelo, habitado pelo último descendente do clã Saezuki.

Este homem planeja trazer seu clã de volta ao poder. Ele fará uso de antigas magias para colocar a alma de seu filho já falecido em um receptáculo criado por pedaços de corpos, dois dos quais pertenceram ao yojimbo e ao ator. O corpo rescussitado será então colocado em uma posição de poder no meio de um clã poderoso. Quando pronto, o filho reanimado do homem abrirá seu caminho até o topo matando quem precisar, garantindo que o clã Saezuki se torne o poder naquela região. O farmaceutico irá acompanhar o filho, chamado Shibito, em sua jornada, ensinando a ele o que significa ser humano.

É um bom plano, mas as coisas começam a dar errado logo nesta primeira edição. O fabricante de bonecas reaparece, inexplicavelmente aparecendo no castelo para semear o caos. Nós não sabemos muito sobre essa figura misteriosa a não ser que ele deve ter um papel importante na história. O melhor de tudo, porém, é o legendário samurai que se imaginava estar morto, um homem cuja missão é garantir que o clã Saezuki não retorne ao poder.

Neste primeiro volume, Hideyuki Kikuchi criou uma série de personagens que são interessantes e misteriosos, e ao mesmo tempo você não quer que nenhum deles alcance seu objetivo. Tendo um espadachim morto-vivo como lí­der da região não soa como uma boa idéia. Os objetivos do fabricante de bonecas não foram ainda revelados, mas parecem sinistros. Até mesmo o farmaceutico, apesar de capturado no meio do conflito, não é inocente. Ele viajava pelo Campo Adachi porque estava disposto a trabalhar para qualquer um dos clãs em conflito, desde que houvesse alguma recompensa para ele.

Missile Kakurai é um bom artista, mas ele escorega um pouco nas sequências de ação. Há lutas com espada e magia de sobra neste primeiro volume, mas é difí­cil acompanhar a ação algumas vezes. Painéis pequenos, perspectivas estranhas e um foco bem restrito em relação as armas faz com que seja difí­cil discernir o que está acontecendo. Nos momentos mais calmos, porém, Kakurai brilha com cenários detalhados e personagens sólidos.

No geral, The Sword of Shibito volume 1 é um estranho manga histórico de horror e artes marciais. A tradução do roteiro de Kikuchi é dura alguma vezes, mas a noção de andamento do escritor leva a história além dessa deficiência. A arte de Kakurai é bem executada, limitada apenas a uma reprodução longe de ser fenomenal, o que é, infelizmente, comum nos lançamentos da CPM Manga.

CPM Manga
Escritor: Hideyuki Kikuchi
Desenhos: Missile Kakurai
Tradução: Akiko Yabuki

Por Chad Boudreau

Publicado originalmente no site Comic Readers

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *