d20 Past

Começamos explorando o presente. Depois demos uma esticada até o futuro. Agora voltamos ao passado. Dando continuidade í  linha do d20 Modern foi lançado o suplemento d20 Past, que amplia o universo de aventuras da renascença até o fim da segunda grande guerra. Quer ser um pirata se aventurando em alto mar? Um investigador do oculto na era vitoriana? Um recruta americano desembarcando na Normandia? Este é o livro que você estava procurando.

Em suas 98 páginas, d20 Past oferece três sugestões de ambientação prontas para serem usadas, seguindo o modelo de sucesso do livro original do d20 Modern, além de todas as regras e detalhes adicionais para criar suas próprias campanhas históricas.

d20 PastA primeira cobre uma das coisas mais legais que existem na face da terra: piratas! A única coisa que pode ser mais legal que um pirata é um ninja pirata, mas vamos deixar esta divagação para outro dia. “Age of Adventure”, por mais que os autores não queiram admitir, vem na onda do sucesso de “Piratas do Caribe”, com corsários, bucaneiros, ilhas escondidas no caribe e tesouros enterrados. O toque especial fica por conta da real existência de todas as lendas do século XVII, com navios fantasma, feitiçaria e maldições para quem roubar o tesouro. E os desenhinhos de mosntros nos cantos dos mapas não estão ali de brincadeira. Algumas criaturas, como serpentes marinhas, bruxas do mar e mestres de zumbis (que servem como ótimos comandantes de navios piratas fantasmas) são incluí­das para dar um sabor especial ao cenário, e uma classe de prestí­gio para mosqueteiros não poderia faltar, os Alexandre Dumas ficaria muito ofendido em sua tumba.

Já “Shadow Stalkers” é a versão do d20 Past para a ambientação “Shadow Chasers” do livro básico. O ano é 1872, a tumba de Tutancamon está disponí­vel para ser descoberta, o oriente distante ainda é misterioso e o oeste americano ainda está cheio de terras para se ocupar. É claro que forças sinistras andam pelas sombras, loucas para trazer o mal, a destruição, alguns deuses ancestrais e provavelmente o fim do mundo como brinde. Cabe aos heróis impedir essa corja de cultistas, demônios e monstrengos. A inspiração na literatura vitoriana é bem forte, e encontramos as fichas do cão dos Baskervilles e de Mr. Hyde, alter ego do famoso doutor Jeckyl. Esta ambientação trilha um caminho já percorrido em parte pelo Call of Cthulhu, e muitas aventuras que se passam lá podem muito bem aparecer aqui também, mas o mote principal do “Shadow Stalkers” é o confronto direto com os monstros, e não uma luta em vão contra horrores ciclópicos ancestrais. O d20 Modern é um jogo de ação, e não exclusivamente de terror e suspense. Pode ser usado dessa forma, mas outros perde um pouco de seus recursos.

Se o seu veneno é enfrentar nazistas, procurar o falcão maltês ou visitar o planeta Ming, você se sentirá em casa com “Pulp Heroes”. Aventuras com altas doses de ação por apenas um punhado de centavos. Uma coisa que chama a atenção é o gerador de nomes para invenções, que cria artefatos dignos de serem cobiçados por qualquer agente de Hitler. O meu preferido foi a Esfera Atômica de Matéria de Nanocampo. í“tima para estar escondida em um castelo na Baviera. Como oponente, nazistas e mais nazistas, perfeitos como vilões, ótimos para serem derrotados no final. Dá pra se sentir um verdadeiro Indiana Jones. Mas a minha parte preferida é a classe de prestí­gio do ís da Aviação! Finalmente vou poder fazer meu próprio Capitão Sky, vindo de brinde a classe de Cientista para criar os inventos malucos que irão equipar a minha nave!

Porém, o mais útil dos capí­tulos acaba sendo o que faz uma série de considerações sobre o que é se aventurar no passado. Algumas coisas são básicas mas a gente não se dá conta. Por exemplo, o livro lembra que somente em 1915 o serviço de telefone ligou Nova York a São Francisco, e que ser rico não significava saber ler e escrever, coisas consideradas úteis apenas para os aspirantes a padre ou burocratas. O livro não é tão detalhista quanto outros que se propõe a trazer ambientações históricas como o Call of Cthulhu original da Chaosium, mas para um jogo cujo foco principal é a ação, dedicar algumas páginas ao assunto foi uma boa idéia.

d20 Past é um livro interessante, e se integra bem a linha do d20 Modern. Cada um dos lançamentos acrescenta novas possibilidades para o mestre, e somente sua imaginação é o limite. Algum dia vale a pena testar misturar todos os livros em uma única ambientação, com grandes robôs marchando pelo deserto pilotados por investigadores do oculto dotados de poderes psí­quicos, buscando a tumba de um antigo rei hobgoblin enterrado há mais de mil anos nos escombros de uma nave aliení­gena. Ou então ninjas piratas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *